19 / mar / 2024
Estratégia
4 MIN.

Saiba qual é a diferença entre tráfego pago e orgânico

Rodrigo Botinhão

CEO e Fundador - Gear SEO

Saiba qual é a diferença entre tráfego pago e orgânico
Sumário

Uma dúvida muito comum para quem quer alcançar o melhor ranqueamento com um site é: qual é a diferença entre tráfego pago e orgânico? Afinal, eles afetam diretamente o tipo de estratégias tomadas. Para saber mais sobre esse tópico, confira o conteúdo a seguir!

Um pouco sobre tráfego pago e orgânico

O tráfego pago é gerado por meio de um anúncio. Ele requer um investimento monetário para que o seu conteúdo ou página apareça nas primeiras posições dos mecanismos de busca. É o que aparece, por exemplo, no Google Ads ou no Facebook Ads.

O tráfego pago pode ter várias modalidades além dos anúncios. Campanhas para redes sociais, publicidades em display e até mesmo as nativas, que são mantidas nas páginas, são exemplos dessa estratégia.

Por sua vez, o tráfego orgânico é aquele em que as visitas ao site são naturais. Então, o conteúdo é produzido com base no que os buscadores consideram importante e no segmento de trabalho da empresa. Já o ranqueamento é feito conforme as boas práticas das plataformas.

A credibilidade do tráfego orgânico é muito vantajosa para um site, visto que o conteúdo é produzido de forma direcionada e especializada. Douglas Gomes, Líder de Estratégia da Gear SEO, fala: “Quem não quer estar na primeira colocação do Google e ser referência naquele resultado de busca? Isso passa uma credibilidade imensa para o usuário final”.

Quais são as principais diferenças entre os tipos de tráfego?

Apenas pelos conceitos gerais, é possível perceber a principal diferença entre tráfego pago e orgânico. Porém, existem várias outras nuances importantes. Veja, a seguir, os aspectos específicos de cada um deles.

1. Custos

Uma das principais diferenças entre o tráfego orgânico e o pago é o tipo de custo gerado. Douglas explica: “nós entendemos que existe o custo da agência, de montar e fazer um conteúdo otimizado. Porém, ele é diferente do investimento na plataforma do Google, do Facebook, do Instagram, que é considerado tráfego pago.”

Ainda sobre os custos, Douglas fala que “dentro do tráfego pago, o acesso às páginas por meio dos anúncios é pago por clique, o que é chamado de CPC, ou por visualizações, conhecido como CPM. Já no orgânico, não há custo algum em relação a isso. É preciso apenas criar o conteúdo e torcer para ranquear”.

Pessoa digitando na busca do Google.

2. Origem

Outra diferença entre tráfego pago e orgânico é a origem. “Se ele é pago, a origem dele é no Google Ads, Facebook Ads, Instagram Ads etc. Ele é feito por meio de anúncios. Já o orgânico vem dos resultados de busca do próprio Google, e quem ranqueia é a plataforma”, indica Douglas.

3. Controle

O tráfego pago oferece um controle imediato e permite a segmentação precisa. Isso significa que o anúncio pode ser direcionado para um certo público-alvo por meio das informações preenchidas na hora de cadastrar o e-mail na plataforma.

“Diferentemente, o tráfego orgânico é totalmente gradual e depende completamente da otimização de SEO. Se o texto não estiver otimizado e dentro das boas práticas, pode não ranquear. Então, você faz o conteúdo hoje para ele posicionar de maneira sólida daqui a seis meses, por exemplo. Isso pode variar conforme mudanças no assunto, na página ou no produto”, detalha Douglas.

4. Duração

Outra dúvida que pode surgir quando se pesquisa o que é tráfego pago e orgânico é a duração. Douglas explica que, “quando você paga por um anúncio, ele dura dependendo de quanto dinheiro você tem para investir naquela página”.

“Já o tráfego orgânico não tem duração. Tudo vai depender do posicionamento nos mecanismos de busca. Caso o conteúdo deixe de posicionar, é possível reotimizá-lo para que ele volte a ranquear de alguma forma. Então, além de ele ser perene, não depende totalmente das pessoas — diferentemente do anúncio pago, que depende só do investimento”, completa o profissional.

5. Retorno

“O retorno para o tráfego pago pode ser muito mais rápido, mas ele exige investimento contínuo. Se você deixar de pagar, o seu anúncio para de ser exibido. Já o orgânico pode ser mais lento, mas vai gerar resultados eternamente. Se você continuar otimizando aquela página, terá um resultado perene”, mostra Douglas.

Ainda sobre o retorno, o tráfego orgânico permite trabalhar o conteúdo para melhorar o posicionamento. Ao reotimizar e deixar o texto cada vez mais completo, as chances de o ranqueamento melhorar é muito grande. Tudo, é claro, seguindo as práticas indicadas pelos mecanismos de busca.

Descubra mais sobre SEO!

Viu só? Agora você já sabe qual é a diferença entre tráfego pago e orgânico. Aproveite que está conferindo esse conteúdo e acesse outros artigos para ficar por dentro de tudo sobre o universo do SEO.

Vamos começar um projeto de SEO com a sua empresa?

Fazer uma análise de SEO gratuita