SEO e Startups: Quais são os problemas?

Victor Alencar

In Marketing Online Posted

O principal problema na aquisição de tráfego da maioria das startups começa já no lançamento do site. Por quê? Porque elas se esquecem de que, a longo prazo, a aquisição paga não se sustenta.

Veja o comportamento padrão das startups ou serviços digitais quando fazem o lançamento do site:

1 – Configurar uma única página (Single Page) com todas as informações e um formulário de contato ou cadastro;
2 – Construir o site utilizando um framework decidido com base na experiência e alocar 100% do time para focar no desenvolvimento do produto;
3 – Contratar um profissional de marketing e, em seguida, mandar ele “se virar” para divulgar o trabalho.

Esse profissional, então, contrata uma ferramenta de automação de marketing para suprir a falta de informações e landing pages. Assim, começa a desenvolver as campanhas de mídia, performance, nutrição dos leads e conversão, em um processo mais conhecido como inbound marketing.

Então, nas reuniões mensais, as startups descobrem que o CAC (Custo de Aquisição de Clientes) está muito alto e decidem que é hora de desenvolver o trabalho de SEO. E o que fazem, então? Alguém na organização lança a ideia de levantar o blog, configurá-lo em um subdomínio e iniciar o trabalho de produção de conteúdo. Passados alguns meses, confirmam que os resultados não são suficientes e contratam um profissional ou uma agência de SEO.

Nessa hora, o profissional ou a agência diz que trabalhar somente o blog não é suficiente e o domínio todo deverá ser incluído em um projeto de SEO — desde as páginas sobre a apresentação do produto/serviço até diferenciais e outras coisas. Começa, então, o processo para reestruturar tudo o que foi feito até agora para que o SEO funcione.

Como o projeto de SEO é um trabalho de várias mãos, o profissional ou a agência precisará da ajuda da equipe de desenvolvimento do site para realizar mudanças e ajustes na estrutura do site. Um cenário comum acontece quando as tarefas técnicas são negligenciadas pela equipe de desenvolvimento porque há outras tarefas mais importantes a serem executadas. Com isso, só resta continuar trabalhando com o blog.

Em alguns meses, o fundador decide que precisa trocar de profissional ou agência porque o SEO não está funcionando. Esse ciclo se repete por mais alguns meses ou anos até que a empresa resolva realizar o projeto de SEO corretamente ou, então, desiste e assume que o CAC vai ficar alto mesmo e elimina o SEO como um canal de aquisição, assumindo o discurso de que o SEO não funciona.

Dificuldades com o Projeto de SEO

Qual profissional de SEO nunca passou por isso trabalhando em uma startup? Esse cenário era bastante comum nos últimos anos, principalmente quando conseguir um investimento não era um problema e o CAC não era considerado um indicador importante para essas organizações.

Agora, com esses tempos de “torneira seca”, o CAC é imprescindível para que uma startup funcione mantendo um gasto equilibrado. Mas afinal, por que o SEO nunca foi considerado importante desde o início para a startup?

Aqui, na Gear SEO, já tivemos diversos projetos com esse cenário, e mudar essa dinâmica é extremamente difícil e depende muito mais da organização do que de nós, agências. Porém, uma vez que conseguimos evoluir com esse impasse, o projeto em geral tende a ser bem-sucedido. Estamos citando uma startup como exemplo, mas essa situação pode ser perfeitamente aplicada também em um e-commerce.

Mas qual é o cenário ideal? Em geral, o canal de aquisição orgânico (SEO) é o que converte mais, se bem trabalhado. Com as venture capital, aceleradoras e investidores-anjos cada vez mais preocupados em onde colocar o dinheiro, o ideal seria essa organização a receber investimento já contar com o SEO na cultura da empresa. Melhor ainda seria que as investidoras já tivessem a capacidade de identificar e atribuir um critério com o trabalho de SEO na decisão de investir ou não em uma empresa.

Nossa experiência ao longo dos anos trabalhando com startups e empresas em estágio de crescimento que já incorporam o SEO na cultura da empresa conseguem manter o custo de aquisição de novos clientes em um patamar mais aceitável em relação às organizações que negligenciam ou não possuem o SEO na cultura.

Conclusão

As venture capital ou organizações que irão investir nessas empresas deveriam incluir também um indicador de mensuração de quão inclinada a startup estará a desenvolver um trabalho de SEO, contratando um profissional ou uma agência para realizar esse levantamento.
Estamos falando de milhões de reais em investimentos para simplesmente não incluir esse critério extremamente importante para o negócio. Repito: SEO não é só levantar o blog em um subdomínio e começar a produzir o conteúdo. É uma cultura que precisa ser adotada desde o início do negócio.

0 Comments

Leave a Comment